and posted in Entrevista, Tradução

Essa entrevista é meio que continuação da entrevista anterior q eu postei.
Elas vieram na mesma revista, mas essa daqui eles comentam sobre as músicas do DIM.

Créditos:
Inglês: Kiniro Ageha LJ
Pt-Br: Mari @ MH


01. [剥離 – Hakuri – Descascando]
[Essa é a abertura do album, mesmo assim não é feita para ter uma conexão com a segunda música. Com relação ao significado, é o mesmo que mudar a pele de alguem e deixa-la cair toda. É feita para ser como cuspir tudo a partir daí com esse significado. (Ruki)]

02. [The Invisible Wall – A Parede Invisivel]
[Antes de qualquer coisa, queríamos fazer uma música com uma batida de bateria difícil. (Ruki)]

[Há elementos muito diferentes inseridos nessa [música] e a gravação de tudo demorou muito tempo (Kai)]

[Entretanto, eu acho que essa acabou sendo a música mais distinta de todas – ficou boa nessa posição. (Aoi)]

03. [A Moth Under The Skin – Uma Mariposa Sob a Pele]
[Fizemos essa música com o pensamento de colocar nela mais recursos do nosso baixista. (Aoi)]

[Essa parecia minha vez de ser e eventualmente me banhar sob os holofotes. (risos) Eu acho que é bom, o modo como saiu fresca e limpa. (Reita)]

04. [LEECH – Sanguessuga]
[Imutávelmente a melodia A está tensionando a música um pouco, mas foi assim que gravamos na época do single. Tentamos conseguir aquilo novamente, e melhor do que ser uma nova versão, se transformou mais na versão original novamente. (Ruki)]

05. [泣ヶ原 – Nakigahara]
[Para essa música também, eu ainda acho que poderíamos ter feito algo ainda melhor, quando olho pra ela agora. (Ruki)]

[Estava me perguntando quanta emoção eu conseguiria produzir só com uma guitarra. Eu fiquei ansioso para fazer essa música, pensando que seria ótimo expressar esse tipo de música (Aoi)]

06. [エ リ カ– Erika]
[Essa é a continuação da Nakigahara. Érika também é o nome de uma flor. Na linguagem das flores ela significa “Solidão” e nesse contexto, inclui aquela sensação ruim de ser o nome de uma mulher também. Eu produzi esse som para ser apenas o pior sentimento também. (Ruki)]

07. [HEADACHE MAN – Homem dor de cabeça]
[Esse é o tema de encerramento daquele filme que vai ser laçado nesse outono. (Aoi)]

[Quando o diretor nos conheceu, nós tivemos uma ou duas músicas para escolher, entretanto, essa foi escolhida porque nós, nós mesmos, não pareciamos muito agressivos como the GazettE. (Kai)]

08. [紅蓮 – Guren – Lótus Carmesim]
[Acho que é ótimo como nós fomos capazes de fazer ela não soar como se ela já tivesse um ano e meio de existência. (Uruha)]

[A parte do vocal foi refeita apenas em uma parte. Havia essa parte em especial que eu frequentemente mudava durante os lives. (Ruki)]

09. [子宮 – Shikyuu – Útero]
[Essa música era pra ser a visão de uma terceira pessoa na Guren. Eu tive esse pensamento “Como seria a música-tema para esse tipo de história?”. O título está impresso ao contrário, assim como o som também é tocado ao contrário. (Ruki)]

10. [13STAIRS[-]1]
[A melodia original foi produzida pelo Uruha, e eu acredito que a letargia dela na verdade acabou ficando muito boa. (Aoi)]

[É uma música bem maníaca, mas eu acho que é bom que a grandiosidade dela ainda seja trazida à tona de algum modo. (Uruha)]

[Durante os lives, eu realmente gostaria de tocar essa música sem os sons de click. (Kai)]

11. [DISTRESS AND COMA – Angústia e Coma]
[Foi a partir dessa música que nós começamos o DIM pra falar a verdade. (Reita)]

[Nós partimos de algo naquele ponto, trazendo tudo isso ao longo do álbum, esticando ainda mais e podáamos ver indo ainda mais além. (Uruha)]

12. [感触 – Kanshoku – Sensação]
[Essa é um prelúdio para Shiroki Yuuutsu. Ainda assim, é como a cena de uma memória. Eu achei que inseri-la no álbum faria ficar mais fácil de ouvi-lo e ainda deixaria o álbum mais profundo como um. (Ruki)]

13. [白き優鬱 – Shiroki Yuutsu – Melancolia Branca]
[Essa música é realmente muito a cara do Aoi. (Ruki)]

[Eu queria criar algo com um motivo, que não é nossa cor usual, entretanto, na finalização dela com a letra que Ruki adcionou, ela simplesmente ficou uma música bem GazettE. (Aoi)]

14. [IN THE MIDDLE OF CHAOS – No meio do caos]
[A partir da aproximação das guitarras essa é uma música muito nossa e eu acho que fui capaz de criar essa noção de existência e deixa-la ser sentida. (Uruha)]

[Essa é uma ótima sensação para essa música e ultimamente eu posso ficar louco tocando ela de novo e de novo. (Aoi)]

15. [朦朧 – Morou – Obscuro]
[Essa é a introdução para a OGRE, como a pessoa se transformando num demônio. É como se ouvesse um inseto, algo que está mudando a partir de dentro e o estupor resultante disso. (Ruki) ]

16. [OGRE – Ogro]
[Essa música parecia como “Estamos finalmente fazendo isso?!” (Uruha)]

[No começo essa música foi bem rápida, ao ponto onde eu diria que eu não poderia faze-la. Então tentamos deixa-la um pouco mais lenta, mas na verdade, ainda continua rápida. (Ruki)]

17. [DIM SCENE – Cena Indistinta]
[Mais do que fazer dessa uma balada, nós realmente queríamos fazer essa para mostrar o lado obscuro dentro de nós mesmos. (Uruha)]

[A letra também é bem apropriada para essa música e de um jeito bom fomos capazes de deixa-la ser o final do album, eu acho. (Reita)]

Leave your Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: