and posted in Entrevista, Tradução

Entrevista com Reita sobre o single Distress & Coma, entre outras coisinhas… rs

Créditos:
Inglês: breadtoaster
PT-BR: Mari @ MH


O que Reita está sempre querendo alcançar é a melhor linha de baixo. Sendo assim, ele está sempre acordando como uma pessoa nova. A produção do single dessa vez, certamente é prova disso. Nesse meio tempo, enquanto lembra fatos do Dia dos Namorados, risadas espontâneas explodem. Um jovem garoto mal compreendido na terceira série, de repente se torna o mais popular na sexta série? O personagem de Reita, provavelmente desde essa época, não mudou tanto assim (risos).

— 「DISTRESS AND COMA」 é visto como uma maravilha de um hit para o impacto do som da banda o que é incrível, não é.

Para falar precisamente, é minha favorita. Para nós esse single foi, por alguma razão, uma balada, depois das músicas violentas, dessa vez perguntaram “a banda vai nessa direção novamente?”, e o som ganhou uma sensação pesada e triste.

— Então como ficou o baixo na gravação?

Fufuu. Geralmente era uma música pesada em uníssono, então a direção não mudou muito, o que é bom, você não acha? E eu também coloquei um cuidado extra em tocar o baixo com uma palheta. Eu sempre tive esse hábito onde eu toco a música uma vez, mas não ouso tocar novamente. Afinal, no começo eu já estava começado a me sentir um pouco irritado.

— As mãos de alguém poderiam ficar juntas, certo. 

Certo, certo, certo. O alvo da música é bom eu acho, já que eu penso “porque eu sou desse jeito” sendo dito, não é verdade no the GazettE. Hoje em dia, me acostumei a tocar com palheta, mas entretanto, a sensação é ruim, a relação com as batidas da bateria ficaram distintas e decididas para quealquer um poder entender com bons sentimentos. Como num live, se você está fora de sincronia, você é instantâneamente percebido e avaliado, o que é um ponto bastante sério, não é.

— 「HEADACHE MAN」 está tão longe para uma música violenta que nem uma parte-A harmoniza direito. Então para essa série de músicas, eu acho que é uma expansão meio ‘amarga’.

É? É uma sensação onde o ponto alto da música se espalha, não é? O tema da música é sarcasmo frio, que é como uma tipo de alegria amarga e cabisbaixa.

— Isso é certo, com certeza. “PAI que parece Kannon” (“Kannon tsuna no DAD” significa um pai que age como se fosse Kannon, a divindade budista da misericórdia) na letra gruda na sua cabeça e não solta, sabe.

Hahaha! Para mim, me pergunto se algum dia vou perder a paciência, mas (risos), eu não vôo para a fúria. (acho que ele quis dizer que não passa direto do calmo para o furioso, então algum dia ele provavelmente vai perder a paciência, mas a menina que traduziu para o inglês acha que ele ta falando que a Headache Man é uma música que faz as pessoas ficaram nervosas como a melodia, e que ele não fica).

— Essa é uma das muitas coisas que você não consegue esquecer sobre o the GazettE, não é.

Nós realmente somos esse tipo de banda? Que ano bom! Dizer que somos esse tipo de banda supera todos os meus pensamentos. Para essa música vários problemas ocorreram em casos diferentes; tentando tocar em harmonia com a batida foi difícil. Fazer isso só estava um pouco fora de compasso. Normalmente para a bateria e o baixo, de um jeito ou de outro ouvimos que estamos fora de alinhamento, entretanto, dessa vez para a pré-produção as guitarras também foram inseridas e a direção foi onde estava o desarranjo, já que erros acontecem frequentemente, mas isso também acontece de vários jeitos diferentes, não é.

— Os instrumentos de toda a duração da música são gravados de modo que possam ser claramente ouvidos.

Exatamente. Um sentimento cru é mostrado de modo que, quando faço os sons do baixo às vezes me preocupo em como deveria faze-lo. Deveria colocar o baixo abaixo da batida, ou deveria coloca-lo próximo as guitarras? A verdade para 『DISTRESS AND COMA』 é que tem um som bem sujo. Antes nunca tinhamos feito isso até mais ou menos a pré-produção. Quando ouvimos apenas isso ninguém acha que tem um som imprevisível, entretanto, por alguma razão todo mundo pensa que a música toda tem um som bonito.

— Por causa disso, ouvir a música toda é bom.

A partir das frases eles foram direto até um final. Apesar da afinação-B do baixo ser popular com a maioria das pessoas, eu acho que não é fácil copia-la.

— Isso que querem nos iniciantes?

É feito para iniciantes. Eu também sou um tipo de iniciante.

— Isso é… (risos)

É por isso que realmente fico ansioso para lives..

— E 「WITHOUT A TRACE」 é do ponto alto de uma música, um grande esforço.

Ehhh. Eu tive algumas vezes com essa, então depois de uns 15 minutos eu havia terminado.

— Que rápido (risos)

Apesar da gravação ter terminado rápido, do Ruki, “ela realmente realmente mudou muito”, ele disse. Recentemente, o baixo realmente não muda muito nas músicas, mas houve vários problemas e tivemos que fazer cerca de 10 modificações. Então mesmo começando a graver a bateria, ainda não terminou. Os vocais não foram tão problemáticos, mas sempre nas frases que eu não estava tocando era extremamente difícil.

— O novo Reita-kun acordou?

De fato. Depois de graver, eu tambpem comprei um novo baixo. É um baixo único. O som também é bom, era desde o começo quando eu decide compra-lo, mas depois de tudo é realmente um baixo único quando você o ouve, você não acha?

— É uma edição limitada, pelo que você diz, hein.

Ficar tão ligado em uma coisa assim não é delicado (risos)? Essa é a mensagem de 『DISTRESS AND COMA』 e 『HEADACHE MAN』. Além disso, com relação a começar a tocar 『WITHOUT A TRACE』 meu som não queria sair. Eu comprei um bom baixo de jazz de 1960, então toquei aquilo. Mudei várias frases quando o toquei, foi um alívio o som não ter sido enterrado sob todos os outros instrumentos, então testar isso foi um bom movimento. (como num jogo rs)

— Sendo assim, foi como o volume de um mini-álbum que foi alcançado para esse single, certo.

……Ainda assim, ser capaz de produzir o volume de um álbum é difícil, não é. Eu ainda não comprei um novo baixo (risada amarga).

— Mudando para o próximo assunto, logo mais será dia dos namorados, então gostaria de ouvir as histórias do Reita-kun. (Notem que essa entrevista é do fim de Janeiro, e o dia dos namorados no Japão é 14 de fevereiro)

Hm? Uma história de dia dos namorados?

— Seu momento popular nº 1, quando foi?

Se eu tivesse que escolher um….Seria quando eu estava na 6ª série (risos). Eu recebi muitos chocolates. Por alguma razão só eu os ganhei enquanto meus amigos em volta não ganharam chocolate nenhum.

— Sua excitação cresceu, não foi?

Isso foi porque, era o tão falado “honmei choco”! (home made choco – chocolate caseiro, que costumam dar para quem você gosta) Mas meus amigos “O que, não, você ganhou ‘giri choco’, sabe” (giri choco é dado para amigos e conhecidos, como se fosse por obrigação), eles diziam (risos). Coisas assim acontecem, sabe..

— No dia dos namorados, você ficava nervoso?

Quando eu estava na 3ª série eu estava nervoso. Para o dia dos namorados, não parecia com um momento no tempo meio irreal? Eu era realmente um garoto não-compreendido naquela época, meus amigos “Vamos acabar com o dia dos namorados, apenas vamos pra casa” era o que eles diziam. Então “Você ta falando sério?”. Bom, sempre acabávamos voltando pra casa pelo caminho errado.

— Vocês achavam que as garotas os achariam então voltavam pra casa.

Por isso meu plano era olhar num mapa para não erra o caminho a partir da escola e saber se estávamos indo pelo lugar errado pra casa. Mas no fim, naquele exato dia, eu voltei para casa pelo caminho certo, calmamente como sempre.

— Coisas assim não acontecem sempre, sabe.

(risos) Fato. É com certeza um episódio de dia dos namorados. Um evento severamente surpreendente.

— Você ficou popular sendo batizado com dia dos namorados.

Eu fiquei, não fiquei? Depois disso os momentos normais passaram (risos). Depois daquele incidente, todos os anos eu recebi bombons de whiskey da minha mãe. Essa era a coisa que eu esperava mais do que tudo.

— Sendo capaz de ficar animado desse jeito, é bem como nos dias do primário e do ginásio, não é.

Era um tempo em que você podia ser mal-compreendido. Bem, para todas as mulheres por aí, por favor sempre me vejam em seus sonhos (risos)

Leave your Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: