and posted in Entrevista, Tradução

Entrevista de 2010 com Aoi e Uruha falando de comida, roupas e suas casas!

Créditos:
Inglês: Duck
PT-BR: Mari @ MH


Com Uruha e Aoi e suas personalidades variavelmente diferentes na capa desta edição. Com o propósito de descobrir sobre suas vidas diárias, perguntamos a eles inúmeras coisas e falamos sobre muitos casos pessoais, juntamente com as duas pequenas entrevistas. Começando com suas visões sobre moda e seus gostos por comida, até a aparência de seus quartos, vamos olhar às duas pessoas a quem fomos apresentados, que nós definitivamente não vemos no palco.

 

—-Dentre comida, roupas e abrigo, vamos começar com ‘vestimenta’. Vocês são específicos com moda?

Uruha – Obsessões com moda…Acho que sou bem exagerado.
Aoi – Apesar do Ruki ser o delinquente da moda do the GazettE desde o começo, ultimamente tem sido o Uruha…..
Uruha – (risos) Esse tipo de coisa para…
Aoi – Até hoje estava bem estiloso, ele cobrindo a cabeça e tudo mais. O que foi isso com o boné?
Uruha – Mesmo eu tendo realmente usado o boné, não combinou em nada comigo… (risos)
Aoi – (risos) Ah, é mesmo……?
Uruha – Não, porque não estou familiarizado com coisas como design, tamanho e outros detalhezinhos.
Aoi – Moda é difícil, não é……

—-Então, o que você quer dizer é que apesar de ser detalhista sobre moda, você é basicamente exagerado.

Uruha – Sim. Mas apesar de gostar de coisas chamativas, eu acabo usando as mesmas coisas por um longo tempo, porque eu não saio pra fazer compras regularmente. Fica entediante (risos). Então, quando eu vou fazer compras depois de um longo tempo, eu acabo me rendendo ao meu gosto por coisas chamativas. Mas bem, eu não sou tão extravagante comparado com todas as outras pessoas extravagantes do mundo, apesar de que eu mesmo penso nos lugares onde quero mostrar minha extravagância.

—-Vocês tem uma cor favorita?

Uruha – É preto, eu acho. É uma cor calma e segura, não é? Pra mim, é preto.
Aoi – Como em, ‘preto combina com tudo’.
Uruha – É. Se há algumas roupas meio exageradas, e se está ficando difícil de pensar qual cor combinaria com elas, eventualmente tende a ser preto.

—-E você Aoi, no caso das roupas?

Aoi – Não tenho o mínimo interesse sequer……

—-Tá falando sério….? Essa conversa não pode prosseguir……

Aoi – (risos) Não, não. Sério. Se houver apenas 2 peças de roupas para usar pra sair, sou do tipo que decide passar o inverno daquele ano com elas. (quer dizer usar muito) Isso porque eu não saio pra fazer compras em primeiro lugar.
Uruha – Mas bem, até ele tem um visual exagerado, não tem, de um jeito ou de outro (risos).

—-Fato. Mesmo hoje, o estilo dos seus acessórios não é totalmente chamativo, com toda essa prata?

Aoi – Aaah, esse estilo, é uma obsessão, sabe. O formato e tudo. Não é ‘infernal’?
Uruha – (risos) ele usa o isqueiro ‘infernal’.

—-Seu isqueiro tem um design particular. Ele não tem um ar meio gótico?

Aoi – Hm. Recentemente, eu não tenho usado nenhuma outra marca exceto essa. É uma marca de Hiroshima chamada ‘TAUJAN’, e eu meio que quero visitar a loja deles quando estiver em Hiroshima para a turnê. Mas de verdade, basicamente, é porque eu não faço compras nunca…….Eu acho que eu acabo comprando um estoque (de roupas) para uma estação com meu estilista. É inconveniente fazer compras tantas vezes, e não tenho vontade de carregar tantas sacolas. Eu normalmente chamo nosso manager, Sakai, e falo pra ele “Carregue os pacotes!”.
Uruha – (risos) Isso é irritante.

—-Certo, e sobre as roupas dos shows?

Uruha – Ah, essas são diferentes. Minhas roupas pessoais e as roupas dos shows são completamente diferentes. Elas são completamente diferentes de roupas normais.

—-Meio que, escolhidas para manter na mente a imagem do “Uruha do the GazettE”?

Uruha – Sim, Apesar de que o modo como faço isso mudou recentemente. Antes, eu costumava ser todo “Eu sou bom~…..”
Aoi – (risos) “Eu sou bom~”. De um jeito muito ruim.
Uruha – Mas mesmo isso era apenas pra ganhar reconhecimento…me acalmava (risos).

—-As fãs em todo lugar com certeza estão enfeitiçadas pelo visual no qual suas pernas nuas estão visíveis (risos).

Uruha – (risos) Bem……Eu vou pensar sobre isso um pouco, se deixa as fãs felizes.

—-Aoi, como você se sente sobre os visuais?

Aoi – Os novos visuais me deixam assassino, sabe. Algo como esta parte (apontando para parte da manga do visual que ele estava usando naquele dia da entrevista, onde parte da manga era dobrada no tecido negro). Essas partes eram pra ter as beiradas colocadas pra dentro, os mamilos eram pra estar escondidos de algum modo.

—-(risos) Continuando com Uruha, é meio como ele exagerando sobre mostrar as pernas.

Aoi – (risos) Mas isso é diferente de mostrar as pernas, sabe. Quero dizer, se você olhar bem, eles podem ficar visíveis, porque o material da roupa é fino em algumas partes. É bem parecido com as espiadinhas (com que as strippers provocam os clientes).

—-Basicamente é a sensualidade, não é, apesar de serem de tipos diferentes (risos).

Aoi – Sim. É por isso que sou cuidadoso com até onde posso ser agressivo. Algo como, até onde devo desabotoar.
Uruha – E termina desabotoando tudo enquanto está nisso, eu acho (risos)

—-As fãs também não acabam esperando por isso então? Quais suas impressões das aparências um do outro?

Uruha – Você realmente tem a cintura bem esguia, não tem, Aoi? Eu acho maravilhoso o jeito como está sempre em forma.
Aoi – Não, isto é…..na verdade, não é um caso de vaguear. Eu faço isso porque quando estou no palco eu armazeno minha energia em mim, só para o caso (de precisar dela lá). (eles estão falando daquela rebolada do Aoi xD)
Uruha – (risos) Mas sério, não parece forte nem nada, é muito claro quão firme ela é.

—-Então é só o fruto do auto-controle?

Aoi – Não não. Não há nenhuma restrição na dieta, mas…..eu tento não respirar com o estômago, perceba. Eu odeio como a barriga aumenta com cada respiração.

—-Então seria certo dizer que você se esforça ao limite de ser levado às lágrimas……… (risos)

Aoi – (risos) É como se eu conscientemente respirasse por aqui (aponta para o tórax). É uma coisa estranha de dizer, mas também há vezes em que sinto vontade de respirar com toda força. Tipo, “respire beeem fundo!”.

—-(risos) Por favor, não fique zonzo, certamente não no meio de um show.

Aoi – Bem, isso é porque é bom me sentir um pouco zonzo (risos).

—-E sobre o visual do Uruha, visto por você?

Aoi – É elegante, não é. É muito bom. Eu não consigo me adaptar muito ao visual, e não é diferente dos outros membros? Apesar do Ruki estar com caxos, o visual dele ainda é diferente…..Não é fascinante?! (Aoi diz a última parte no dialeto de Kansai)
Uruha – (risos) Por que o dialeto de Kansai?

—-Você está ficando vermelho de ter elogiado muito (risos).

Aoi – Não não não. Eu suponho que seja bom tentar e expressar algo que possa ser dito apenas por alguém em especial.

—-Bem, para o próximo, sobre ‘comida’. Vocês gostam de doces?

Uruha – Eu não gosto tanto assim. Eu não posso mais comer muito açúcar, principalmente depois que comecei a beber muito.

—-Isso é típico de quem bebe muito, não é? (risos) Há muitas pessoas que não gostam de coisas doces.

Uruha – Sim. É algo como, se você comer um pouco de coisas doces aqui, você sentirá vontade de mais açúcar da cerveja quando chegar em casa. Depois de algo assim acontecer uma vez na vida, você se sentirá feliz apenas com sake.
Aoi – (risos) Muito bem dito!

—-Me pergunto o que isso quer dizer, do ponto de vista da saúde…… (risos) Aoi, você gosta de doces?

Aoi – Eu absolutamente adoro doces. Apesar de não comer sempre….. eu amo “Pie no Mi”! (tortas recheadas de chocolate) Quando vou às konbini (lojas de conveniência) eu sempre acabo comprando isso. Isso porque eu amo qualquer coisa que seja ‘torta’. Bem, além de seios, né….. (risos). Bom, isso foi uma piada. (aqui a palavra ‘pie’ que é torta em inglês, rima com oppai, que é como se fala seios em japonês… acho que ninguém riu lol) Bom, sejam tortas, ou Mille-Feuille, eu gosto de coisas que são levemente em camadas. (notem as camadas na foto do Mille)

—-Tortas tem essa textura. Bem, mesmo se vocês gostar daqueles das mulheres, vamos deixar quieto e seguir em frente (risos).

Aoi – (risos) Com certeza. Alias, eu gosto de Baumkuchen também.
Uruha – Esses são iguarias, se alguém os tem, não são……De qualquer modo, eu gosto de coisas como pipoca. Eu gosto de lanchinhos salgados também, tipo ‘Nori Shio‘ (são batatas tipo ruffles com gosto de nori-shio)

—-Se forem batatas fritas, então tem que ser ‘Nori-Shio’.

Aoi – Ah! Eu comi uma, dizia ‘Premium Nori Shio’, e que eram bem saborosas.
Uruha – É totalmente delicioso, não é?!
Aoi – Hmm…… Eu estava pensando na frase “Elas não são iguais as comuns?”……
Uruha – (risos) Sério? Elas são diferentes! Eu acho que elas tem um sabor maravilhoso…….
Aoi – O sal é bom, não é?
Uruha – O sal é bom, assim como o tempero com oleo, e a espessura…….
Aoi – Quantos detalhes…… eu gosto de Consomme. (um caldinho de carne da culinária francesa, é um prato que precisa de muita habilidade para fazer, porque passa por um refinamento com ovos etc)

—-Então, você é detalhista com comida?

Aoi – Esses dias, eu sou, falando comparativamente. Os serviços de entrega sempre estiveram lá, e tenho saído para comer com os staffs recentemente. Apesar de nunca ter sido alguém que come muito, ultimamente eu tenho comido bastante carne ensopada.
Uruha – Eu gosto de carne ensopada também. Ao estilo coreano. Não importa o que digam, carne ensopada não combina melhor com bebidas?
Aoi – É bom, não é~
Uruha – Uma pessoa pode colocar vegetais, outra pode comer com peixe. Eu gosto apimentado.

—-Aoi, você gosta de coisas apimentadas?

Aoi – Não gosto muito. Há aqueles doces com pimenta neles. Uruha sempre come esses e diz “quente~!” ao mesmo tempo. E eu continuo pensando como seria melhor se ele parasse de come-los…..
Uruha – (risos) Ah é assim….
Aoi – Ele continua gritando com uma cara totalmente satisfeita. Como se algo tão apimentado fosse bom.
Uruha – Eu não acho que é bom exatamente………Mas só pensar em desistir de comer, me faz querer mais (risos).
Aoi – Você não é meio masoquista quando se trata de pimenta? (risos)

—-Tipo amar até doer (risos). Vocês cozinham?

Aoi – Na verdade não~
Uruha – Eu sempre acabo fazendo carne ensopada. Ou curry.

—-Ah! Você tem algo como sua própria receita?

Uruha – É normal……. (risos). De acordo com o que está escrito atrás da caixa, bem comum. E para o curry, não há aquelas vezes que a gente sente tipo “eu quero comer curry de qualquer jeito!”. Eu cozinho nessas horas, e sinto que está delicioso (risos).
Aoi – Mas curry é algo que as pessoas não tem como errar. Se alguém estragar até o curry, então isso é horrivelmente…….
Uruha – Hm. Mas ensopado é extremamente difícil. Quando a gente adiciona os vegetais eles soltam água, e o sabor fica muito fraco, esses ajustes, sabe.

—-Aoi, você não cozinha muito, certo? Então o que você faz no meio da noite quando você não pode chamar os serviços de entrega? Nos momentos em que você mesmo tem que cozinhar?

Aoi – Eu não como! Eu fico mais ou menos bem mesmo se não comer nada o dia todo.

—-Eh? Você não tem nenhum desejo por comida pra começar?

Aoi – Não. Eu sinto vontade de comer, mas se for problemático, então isso ganha da vontade….
Uruha – Isso não significa basicamente que você não tem nenhum apetite por comida?

 —-Aliás, há algo que vocês queiram comer agora? Se lhes dissessem que podiam comer qualquer coisa hoje, o que iriam querer?

Aoi – Horumonyaki! (um prato típico de Kansai, feito de carne de boi ou porco)

—-Aqui vem algo forte! Só porque estavamos falando de falta de apetite (risos).

Aoi – Tem sido meu favorito ultimamente. Uma vez que eu coma um bom horumonyaki, sinto vontade de comer de novo…….. Intestinos são realmente deliciosos!
Uruha – Aah! Qualquer parte…. É delicioso!

—-Você gosta bastante de carne ensopada, não é? (risos)

Uruha – Sim (risos). Uma carne de porco leve e gordurosa é boa, não é? Não derrete na boca? E se houver um Highball (uma mistura de bebidas alcoólicas e não-alcoólicas) para servir com isso, eu fico…..
Aoi – Wah, pare…… Eu com certeza vou comer Horumonyaki de novo!

—-Depois que essa entrevista acabar, vejam se conseguem pedir aos staffs para comprarem pra vocês (risos). Certo então, para o último tema, ‘abrigo’. Como é o ambiente de suas casas no momento?

Uruha – A minha é puro concreto. (sem pintura)
Aoi – A minha também.
Uruha – Eu até me envolvi mais no interior, e vi algumas coisas……..Senti que algo em algum lugar estava errado. Pessoas que (se envolvem) nessas coisas fazem isso, não fazem? Mas eu fiz (a decoração do interior) um pouco, e não me empolgou em nada, então eu concluí que não tinha nenhum interesse nisso.

—-Não é divertido ser um pouco detalhista com móveis, peças decorativas etc?

Uruha – Com todas as proibições e regras dos condomínios, não seria algo triste não ser capaz de fazer muito?……..
Aoi – Ao contrario, por causa disso, alguém pode perder o desejo de colocar qualquer coisa em qualquer lugar. Mesmo na sala da minha casa, não há nada além da tv, sofa e uma mesa.
Uruha – Basicamente, a gente não pode fazer muito, se for um condomínio. É por isso que alguém pode se perguntar sobre o futuro……..quero uma lareira em minha casa, sabe.

—-É tipo uma casa num país de neve, não é? (risos)

Uruha – Ser rodeado pelo calor do fogo, tomando pequenos goles de um Highball (risos).
Aoi – Se você quer ser rodeado, você tem que reascender (a lareira) à meia-noite. O fogo não vai apagar?
Uruha – Aah. A lareira não é o no canto extremo? Não há uma parede lá?
Aoi – Bem, no caso de uma em estilo japonês?

—-É a irori?

Aoi – Isso é bom! Eu quero um cômodo com irori.(Lareiras japonesas, normalmente uma área quadrada, no chão, no meio da sala)
Uruha – É bom~. Eu só quero um pouco de fogo, de algum jeito (risos). Meus amigos da minha cidade natal tem em suas casas com certeza. E mais do que um ar oriental, dá um ar decorado.
Aoi – Isso não acontece porque é quente? Mas o calor de um aquecedor é diferente, é apenas um substituto ao fogo.

—-Aoi, sua casa atual também não tem muitas coisas dentro?

Aoi – Não tem. Será o mesmo, até no futuro, quando construir minha própria casa. Eu quero cômodos espaçosos, sem divisões entre eles, com quase nada dentro deles.
Uruha – Aah. Sua moradia anterior também era assim, não era? Era totalmente sem divisões.
Aoi – Hm. Era uma única extensão da cozinha até a sala, e parecia um cômodo grande de verdade. Não gosto muito de cômodos que passem uma sensação de limitação. Eu costumava morar num quarto de 4 ½ tatami (no Japão os cômodos são medidos por quantos tatamis cabem espalhados no chão. Essa medida citada seria aproximadamente 274 x 274 cm) no passado, então eu acho que é em vingança dessa época.

—-Antigamente, quando você ainda estava morando em sua própria casa, como era seu quarto? Ele era simples desde aquela época?

Aoi – Aah. Antes eu costumava fazer coisas como colar posters nas paredes. Costumavam ser coisas de bandas. Eu cuidadosamente colocava coisas que ganhava comprando CDs….Nem consigo pensar nisso agora (risos)

—-Como foi sua experiência com posters? (risos)

Aoi – Tinham posters de moto quando eu era bem pequeno. Depois que cresci eram posters de surf e tal. Celebridades da tv……..

—-Algo tipo Metallica??

Aoi – (risos) Nem o Metallica estava lá. Nem coisas de celebridades da tv ou músicos.

—-O que quer que você tivesse interesse aparecia, não é?

Aoi – É. Como tentar decorar minha prancha de surf. Mesmo agora, se eu volto pra casa, minha prancha continua encostada naquela parede, sabe.

—-Você ainda surfa?

Aoi – Eu não! É frio…….(risos)

—-(risos) Em suas casas, como é o seu canto de música? O cômodo onde fazem música.

Aoi – Não parece mais ou menos, comum?
Uruha – Hm. Tem o laptop e o teclado fica na frente dele. Então há as guitarras e as pedaleiras alinhadas……..

—-Então, as ideias para músicas tomam forma com vocês trabalhando desajeitadamente no meio de todo o equipamento.

Uruha – Ah, não…… Bem, generalizando, é assim que é, mas pra mim, é impossível produzir músicas assim, do nada. Dedilhar a guitarra logo no começo não funciona pra mim. Algo precisa realmente captar minha atenção antes.

—-Eh. Como em, sua visão não se amplia (a idéia não flui) apenas dedilhando a guitarra?

Uruha – Sim. Uma vez que a forma inicial da música está em minha cabeça, eu acho que sou totalmente assim (afunda no acento com a cabeça pendurada). Se eu ficar com muito frio ali, eu mudo pra minha cama e vou dormir………Então, se eu fizer “Ah!”, eu volto e dou uma estrutura decente. Esse tipo de sensação. Eu não trabalho muito no começo (risos).

—-Nos estágios iniciais, não funciona a menos que você esteja meio inerte, não é? (risos)

Uruha – Isso mesmo. Meio como se eu estivesse mais dormindo (do que acordado) (risos).

—-E você, Aoi, sobre o jeito do Uruha?

Aoi – Não funciona pra mim a menos que eu toque a música instantaneamente.. A menos que eu imediatamente toque algo que eu tenha pensado apenas uma vez, na guitarra, eu não consigo dar nenhuma forma. Então eu salvo no laptop e então deleto, salvo e deleto……Uso esse tipo de método resumido de criação.

—-Como se você estivesse constantemente dedilhando a guitarra. Seu método é um pouco diferente do Uruha, não é?
Uruha – É, não é? Eu salvo no meu celular. Tem partes que do nada me vem como sendo potencialmente boas para uma introdução, e eu vou, “Certo, a parte começando daqui”……Eu tenho tendência a acabar esquecendo as coisas, então eu gravo tudo no cellular. Se há um ritmo que eu sinto que nunca quero esquecer, eu prontamente gravo eu mesmo falando.

—-Tipo ~tatatata—n~…… Expressando o ritmo por imitação (da guitarra). Tipo ouvir a isso para ver como fica (risos).

Uruha – Soa absolutamente horrível, sabe (risos). Bem, isso é como eu trabalho e salvo……. Depois eu junto as partes que eu acho que soariam bem unidas, eu dou forma até mais ou menos o refrão. E então, é a vez dele (Aoi) até a pré-produção.

—-Nós falamos da quantidade exaustiva de equipamentos em outra entrevista também. Se não me engano Kai disse “Aoi, aprenda um pouco observando sua casa”

Aoi – Não não não. Claro, todos continuam colocando todos os tipos de software, mas…….O que ele quis dizer foi simplesmente que minha casa é usada como estudio.
Uruha – Mas isso é porque há um HD (um software para fazer música famoso) carregado lá. Sendo que já tem alguém com tal computador, eu acabo sentindo que está tudo bem mesmo se eu não trabalhar tanto assim. Por que eu tenho um computador tão ruim? (risos)

—-Então, a pré-produção do the GazettE acontece na casa do Aoi, com todo mundo reunido lá.

Aoi – Sim. Ele (Uruha) nunca visita minha casa. Mesmo se eu convidá-lo, ele não aparece………
Uruha – (risos) Isso é porque mesmo se você convidasse, eu não tinha escolha!
Aoi – Mesmo se ele perguntasse “Ir hoje?”…..Ele diz “Eu não posso ir agora que entrei no ofuro”, ou ao contrário “Estou triste”.

—-Para um corpo bonito…..pra que ele iria na sua casa de qualquer jeito? (risos)

Uruha – (risos) então mantendo isso em mente, Aoi rapidamente apresentou todos nós para o sistema de melhores configurações, e agora todo mundo se reúne na casa dele pra trabalhar.
Aoi – 5 pessoas, e os staffs se eles vierem, num pequeno cômodo, é um pouco exagerado, sabe …… (risos)
Uruha – Aoi se senta na frente do computador, e todos nós ficamos em volta (risos). Entre ‘sim’ e ‘dados’, a pré-produção primeiramente acontece na sala do Aoi.
Aoi – Hm. Mas é ruim se o som se espalha.
Uruha – ele ecoa, não é? Criar numa sala é uma sensação razoavelmente única. Com aquela escadaria estando lá………
Aoi – E com o teto sendo tão alto.

—-Pelo que vocês acabaram de dizer, é um cômodo bem espaçoso, não é? Não é sufocante e parece confortável.

Aoi – Sim. Mas é mais ou menos solitário (risos). Não há ninguém além de mim……..

—-Em horas assim, não seria legal convidar os membros pra virem? (risos)

Aoi – Nãooo…… Sou incapaz de ser um bom anfitrião, mesmo se os convidar. Não tenho os ingredientes para comida, nem caixas de cerveja. Mesmo se todos vierem pra trabalhar, eles mesmos tem que sair pra comprar chá. É a partir daí que o dia começa.
Uruha – (risos) Hey, não foi você quem comprou (o chá)?
Aoi – Eu comprei os copos descartáveis também (risos).

 —-(risos) Que gentil! Mas apesar de tais sentimentos sinistros, as músicas do the GazettE tem saído. Mesmo agora, vocês devem estar bem no meio da produção, não é?

Aoi – Bem, bem, pouco a pouco, mais ou menos…..Só fizemos até a parte dos arranjos por enquanto.
Uruha – Mas sabe, são músicas muito boas! Como devo dizer……a que estamos fazendo agora é um desvio real ao estilo típico do the GazettE. Definitivamente há essa franqueza, do tipo que não temos feito ultimamente. Eu acho que sera uma música direta, otimista. (curiosidades mil agora e-e)

—-Estarei esperando por ela com toda ansiedade! 

Leave your Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: