and posted in Entrevista, Tradução

Na edição de março de 2014 da revista VA Tsutaya foi publicado um auto-report escrito por Ruki sobre a WT do ano anterior, e trazemos pra vocês agora a tradução.

Créditos:
Espanhol: @BabyJenkz
Pt-Br: Shizu @ MH


No ano passado, a turnê mundial ocorreu durante a primeira metade de setembro na América do Sul, e na segunda metade do mês na Europa. As condições das casas de show não eram muito boas, mas agora, quando eu olho para trás, eu realmente gostei. Porém, as casas de show no exterior começam a trabalhar às 20h00, e por isso não podíamos fazer apresentações longas – duravam cerca de uma hora e meia. E, no entanto, de alguma forma, o horário para começar [nosso] foi no início da manhã (risos). Uma vez que chegávamos ao local, ensaiávamos e depois só esperávamos [a hora do show começar]. Até o horário da apresentação já começava a nos dar sono (risos).

Sobre a setlist da turnê mundial, focamos nas músicas dos álbuns “Division” e “Toxic”, músicas como Shiver prenderam o público. Seis anos depois da nossa primeira turnê mundial, desta vez levamos luzes com movimento etc, como as que usamos no Japão – o que melhorou a atmosfera, eu acho.

Se compararmos os países estrangeiros com o Japão, eles são [de climas] secos, o que deixava o som duro e sólido, mas os fãs ainda estavam entusiasmados. As pessoas da Europa se assemelhavam aos fãs japoneses em termos de paixão, eles te ouvem tocar, mas as pessoas da América do Sul eram muito loucas. Não houve headbanging ou crowd surfing como no Japão, mas a audiência do Brasil parecia a mais quente?!

Porque o México fica num lugar alto, o ar é mais leve, é por isso que não nos sentíamos muito bem. Não podia-se usar um inalador de oxigênio de bolso. E era doloroso quando usado, então, se você usar não vai conseguir se sentir revigorado mesmo assim (risos). Eu tinha decorado o que diria durante os MCs para cada live, mas… Eu esqueci (risos).

Toda a questão da migração para se deslocar de um país para o outro foi árdua. Nós viajamos para o México passando por Washington, por isso ficamos 19 horas no avião. Como mal tínhamos dormido, ficamos tipo “ah, o que estamos fazendo aqui?!”. Após o desembarque, tivemos que passar pela área de controle de passaporte, mas estávamos tão cansados – na verdade, não estamos acostumados com isso. Além disso haviam muitos fãs para nos cumprimentar no aeroporto, e quando saímos do avião, não havia nada que pudéssemos fazer sobre o entusiasmo dos fãs (risos).

Mas, depois de ver o DVD novamente, essas boas-vindas realmente te deixam feliz.

Na Europa, nós viajamos de ônibus. Foi horrível. Haviam até mesmo viagens de 16 horas e, como ficamos no ônibus, finalmente conseguimos dormir, mas bem rápido, porque o nosso espaço foi limitado a um único andar.

Entre as turnês da América do Sul e da Europa, voltamos uma vez ao Japão. Chegar em casa, fazer as malas, e imediatamente chegar a manhã – foi realmente muito apertado, mas só se consegue relaxar em seu próprio lugar, não é? É por isso que eu pensei que eu ir para a Europa logo após voltar para casa era terrível.

Afinal de contas, houveram muitos incidentes no exterior. No México, quando entrei no meu quarto no hotel, tinha um estrangeiro desconhecido sentado lá, ele me perguntou em Inglês “Same room? [Mesmo quarto?]”. Eu respondi “Same room ja ne yo!” [Mesmo quarto nada!] (risos). Aparentemente, a reserva havia sido duplicada. Além disso, no México, de alguma forma, a carta de um fã chegou até o quarto do Aoi. Parece que alguém da equipe do hotel tinha feito isso…

Em seguida, enquanto à procura de um local para uma sessão de fotos, a nossa equipe deixou as malas no carro, passaportes e equipamentos, eles foram roubados. Então, enquanto estávamos nos preparando para o live, os membros da equipe foram para a embaixada (risos). Fomos informados de que tínhamos que carregar todos os nossos pertences, por isso a culpa foi deles por não terem feito isso (risos). Mas sim, o Japão é mais seguro.

Durante o tempo livre, fui às compras. Na Argentina eu visitei a mesma loja todas as manhãs e comprei algumas roupas estilo ocidental. Mas quando voltei para casa, perguntei a mim mesmo “Huh? Por que você comprou isso?” (risos).

Embora muitas coisas tenham acontecido, da próxima vez, gostaria de fazer uma turnê mundial completa também gostaria de ir para outros países. Eu gostaria de visitar a Ásia e os Estados Unidos!

One Comment so far:

  1. estefania disse:

    Pelo menos o roubo foi no mexico kkkkkk. Ponto para o brasil

Leave your Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: